quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Gestão atual da OAB/MA conclui mandato com as contas em dia e dinheiro em caixa‏

A diretoria da OAB/MA presidida pelo advogado Mário Macieira, que encerra sua gestão nesta quinta-feira (31), entrega aos sucessores uma entidade totalmente saneada e com dinheiro em caixa. De acordo com o tesoureiro da OAB maranhense, Marco Lara, todas as obrigações financeiras devidas até dezembro foram honradas, a exemplo da folha de salário dos funcionários (R$ 66.781,20) e férias do período (R$ 7.130,00). 

A nova gestão encontrará disponibilidade financeira de R$ 883.716,15 dos quais R$ 653.310,96 estão disponíveis em caixa e aplicações financeiras e R$230.405,19 são receitas já garantidas com cartão de crédito. E só não há mais recursos em caixa porque os boletos da anuidade de 2016 ainda não foram emitidos, aguardando a nova política de descontos que consta do programa de gestão da nova Diretoria da entidade, eleita em novembro/2015 e que assume a entidade a partir de amanhã (1º/janeiro).

Marco Lara explicou que o equilíbrio financeiro das contas da OAB/MA ao longo dos últimos anos só foi possível graças a uma gestão responsável e transparente. "A austeridade na gestão financeira sempre foi uma preocupação da nossa gestão iniciada em janeiro/2013. Isso nos permitiu avançar na cobrança de anuidades em atraso e no campo dos investimentos, revertendo esses recursos em benefícios para todos os advogados, do que são exemplos concretos os novos equipamentos de diversas salas dos advogados por todo o Estado, os núcleos de inclusão digital em diversos foros, bem como as novas sedes das Subseções de Caxias, Balsas e Bacabal: as duas primeiras já concluídas, equipadas e entregues aos advogados; e a última em fase final de conclusão das obras", explica Marco Lara.

Ele ressalta, ainda, que a gestão atual entrega a entidade maranhense com um dos menores índices de inadimplência do Sistema OAB no país: apenas 21,32% de inadimplência entre os advogados ativos e apenas 26,49% no geral (em 31/12/2012 este índice era de 30,33%). Todo esse trabalho resta reconhecido não somente pelas auditorias anuais da Controladoria Geral do CFOAB, como também pela reiterada aprovação das contas da OAB Maranhão por parte do Conselho Federal.

O tesoureiro arremata dizendo que a gestão que ora se encerra tem a certeza do dever cumprido em todos os aspectos, mas, principalmente, na defesa independente e intransigente dos interesses dos advogados e da sociedade e no trato com os recursos financeiros da Seccional Maranhense. "Sempre tratamos os recursos originários das contribuições dos advogados com muito zelo e tivemos, ao longo de nossa gestão, o cuidado de nunca prometer aquilo que efetivamente não poderíamos cumprir e que poderia comprometer a saúde financeira da Seccional Maranhense", concluiu, desejando sucesso à nova gestão que se inicia. 

Fonte: OAB/MA