sábado, 8 de novembro de 2014

Acusada de tentar matar com bolo envenenado tem crime desclassificado

O Tribunal do Júri do Gama, em sessão de julgamento realizada na última quinta-feira (6), desclassificou o crime imputado à mulher que tentou envenenar outra com bolo envenenado. Ao invés de tentativa de homicídio, a mulher responde agora por lesão corporal leve, crime que depende de representação das vítimas.

Por esse motivo, o juiz deixou de sentenciar o processo e designou a data da próxima segunda-feira, 10/11, para as formalidades legais necessárias ao caso. Se as três mulheres que comeram o bolo envenenado não representarem contra a ré, o processo será extinto. Havendo a representação, o magistrado já deixou consignado que a ré tem direito à transação penal, assim, o Ministério Publico ofertou a proposta de que a ré preste 300 horas de serviços comunitários, caso não haja composição civil com as vitimas.

Relembre os fatos 

Segundo consta dos autos, no dia 26 de julho de 2011, por volta das 14h, Kathianny, querendo matar Ivaneide Teles Brito, enviou por meio de outra pessoa uma torta da Cacau Show envenenada com chumbinho para o Centro de Saúde 01, no Setor Sul do Gama – DF. Pela semelhança entre os nomes, o bolo, foi entregue por engano a Ivonete, que também trabalhava no local. Além de Ivonete, as demais vítimas, Rosimilda e Rosilene, teriam consumido a guloseima envenenada. As três mulheres não morreram porque foram socorridas a tempo.

Kathianny foi pronunciada para responder perante o júri popular por tentativa de homicídio (3 vezes), com dolo eventual. Porém, na sessão de julgamento, o Conselho de Sentença votou pela desclassificação do crime.

Processo: 2011.04.1.010297-7 

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado de Distrito Federal