quarta-feira, 25 de julho de 2012

Movimento de bacharéis em direito ganha força para tentar derrubar o Exame da OAB

Bacharéis em direito nunca tiveram uma trajetória fácil para entrar no mundo jurídico. Provas a cada semestre durante 5 anos de faculdade, estágios em escritórios, e na maioria das vezes pagam para trabalhar. No entanto, ao final do curso superior terá que ganhar novo fôlego, já que, para exercer a profissão de advogado terá que passar nas provas do Exame de Ordem.

Em meio à polêmica e após decisão do STF favorável ao Exame de Ordem. Aos bacharéis surgiu uma luz no fim do túnel, ou seja, o projeto de lei de autoria do deputado Eduardo Cunha(PMDB/RJ), que propõe o fim do Exame de Ordem. A repercussão já ganhou espaço nas redes sociais, a exemplo @DepEduardoCunha, @OphirCavalcante, @marcofeliciano, @VICENTINHOPT, @RubensTeixeira @examedeordem, @EdoBem e outros  twitteiros.

A luta por uma solução, pelo fim da exigência do exame da OAB, atualmente regulamentado em provimento do CFOAB, vem sendo  representada  pelos MBBAD – Movimento Brasil de Bacharéis e Acadêmicos em Direito, presidido por Julio Velho; - Mãos Limpas – Brazil No Corrupt, ONGs representadas  pelos cariocas Ricardo e Fábio Fonseca; OBB – Ordem dos Bacharéis do Brasil, presidido por Willyan Johnes e MNBD/OABB - Movimento Nacional dos Bacharéis em Direito da Organização dos Acadêmicos - Bacharéis do Brasil, presidido por Reynaldo Arantes - Bacharéis em Ação, presidido por Gisa Moura e milhares de bacharéis.

É importante destacar a entrega de carta aberta, uma espécie de memorial contra o Exame de Ordem, entregue a parlamentares e a presidenta Dilma Rousseff, texto elaborado por Dr. Rubens Teixeira, um dos maiores defensores do fim do exame de ordem.

Fonte: Justiça em Foco