segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Estados Unidos não descarta ação militar contra o Irã

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou no domingo que as sanções econômicas contra o Irã para conter as ambições nucleares de Teerã tem uma enorme força e que consultará outras nações sobre passos adicionais para assegurar que o Irã não adquira uma bomba atômica.

Obama expressou confiança em que a Rússia e a China em particular compreendam a ameaça que representaria um Irã com armas nucleares e destacou que seus líderes estiveram de acordo para não permitir que o país use seu programa atômico para construir armas e lançar uma corrida armamentista na região.

O dirigente, que participou de um entrevista coletiva durante a reunião de cúpula do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec), não afirmou especificamente se consideraria uma ação militar se Teerã persistir em se militarizar com armas nucleares.

- Não estamos retirando nenhuma opção da mesa. O Irã com armas nucleares representaria uma ameaça não só para a região, como também para os Estados Unidos - disse.

Um relatório divulgado na sexta-feira pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) revelou novas provas como imagens de satélite, cartas e diagramas de que o programa nuclear do Irã inclui esforços clandestinos para construir uma bomba.

Fonte: O Globo