sábado, 17 de setembro de 2011

CALOTE: Estudantes denunciam golpe de donos da Styllos

A empresa Styllos Eventos foi denunciada na manhã deste sábado (17/09) na delegacia do 12º Distrito Policial pelos alunos da turma de Enfermagem de uma faculdade particular de Teresina. Eles acusam a proprietária da Styllos, a empresária Keila Moreno de fugir e fechar a empresa sem dar nenhuma explicação. Sem o pagamento aos fornecedores, os eventos de formatura da turma que aconteceriam hoje terão de ser cancelados.

O prejuízo, segundo os estudantes, pode chegar a R$ 24 mil reais. Eles acusam a empresaria de fugir com o dinheiro. Agora, restando o pagamento de mais de 50% dos custos da festa, os estudantes entraram em desespero. O contrato com a tradicional empresa de realização de eventos de Teresina estaria fechado há mais de um ano, e os formandos pagavam mensalidades de R$ 2.015.

Nem mesmo os funcionários sabem exatamente o que aconteceu. Em postagem no seu perfil do Facebook, o consultor da Styllos, Fábio Idegardes comenta que “acordou e entrou num pesadelo”. Ele relata que no meio da noite um caminhão chegou à sede da empresa, na rua Napoleão Lima, bairro Jockey, e tudo foi levado. “Levaram todos os computadores da empresa, ar-condicionados e demais produtos de valor da empresa, como equipamentos de som, iluminação dentre outros, e fugiram”, relata na nota.

Atônitos, os funcionários estão surpresos e ainda ficaram com os vencimentos atrasados. A empresa tem dezenas de contratos fechados com turmas em Teresina, inclusive suas delas deveriam acontecer hoje. Fábio Idegardes conta ainda que sabia dos problemas financeiros que a empresa passava, mas não imaginava que chegassem a esse ponto. A empresa foi fundada pelo empresário Júnior Araújo, ex-marido da empresaria que hoje é dona da empresa. Júnior morreu há alguns anos após complicações na realização de uma cirurgia de redução de estômago.

Ainda na postagem ele denuncia que a empresaria e o marido, Fabiano Nunes, teriam sido vistos em um vôo que partiu para Fortaleza, mas que estariam mesmo na cidade de Brasília. Ainda teriam sumido da empresa uma moto e uma caminhonete, além dos demais equipamentos. Ele lamenta, “Só Deus sabe onde este caminhão está”.

Os estudantes estão agora sem saber o que fazer. A empresa hoje permanece fechada. Vários Boletins de Ocorrência foi registrado no 12º Distrito Policial e a equipe de investigação deve agora apurar se realmente há existência o golpe, além de tentar localizar os empresários. Este seria o primeiro caso do chamado “Golpe da Formatura”, registrado no Piauí.

A equipe de reportagem do 180graus esteve no início da tarde deste sábado (17) em frente à sede da empresa na zona Leste. Lá, um grupo de estudantes de Direito da Faculdade Piauiense (FAP) buscavam respostas sobre o ocorrido. “Até agora o que sabemos é pela imprensa, conta o estudante”. A turma 2011.2 que estava com contrato para a formatura em abril do próximo ano já tinha pago R$ 34.756,04 e agora temem não mais reaver o valor.

Fonte: 180 Graus