quarta-feira, 13 de julho de 2011

Serviço oferecido de péssima qualidade aos usuários faz com que a TIM seja alvo de 60% das reclamações contra operadoras no Procon

A operadora de telefonia TIM é alvo de 60% das reclamações de consumidores contra operadoras de telefonia registradas no Procon do Maranhão. A informação foi confirmada, na tarde desta segunda-feira (11), pelo superintendente do Procon-MA, Felipe Camarão, em reunião sobre os serviços das operadoras no Estado, na Assembleia Legislativa.

Reuniram-se, nesta tarde, além do superintendente do Procon, a promotora de Defesa do Consumidor, Lítia Cavalcanti, a secretária de Direitos Humanos e Cidadania, Luiza Oliveira, e o deputado estadual Zé Carlos (PT). Eles analisaram os números e o panorama do serviço de telefonia móvel no Estado. Por esses dados, a TIM foi a operadora que mais teve reclamações.

"Há dois anos, fizemos uma audiência pública, na qual representantes da TIM estiveram presentes e afirmaram que não tinham torres suficientes para suprir a demanda de seus consumidores. Agora, dois anos depois, o que vemos é o número de consumidores aumentar, e parece que a empresa não se mexeu. Ela vai ter que arcar com as consequências", declarou Lítia Cavalcanti, em entrevista ao repórter Jorge Aragão, da rádio Mirante AM.

O superintendente do Proncon-MA, Felipe Camarão, reforça a declaração da promotora do Consumidor. "A única coisa que mudou depois da liminar é que o serviço piorou. O que os consumidores têm reclamado é que o serviço da empresa piorou", disse.

No fim de junho, o Procon conseguiu decisão liminar que proibia a TIM de vender e habilitar novas linhas de celular no Maranhão. Dois dias depois, a operadora conseguiu um mandado de segurança derrubando a liminar e podendo voltar a atuar no mercado com venda e habilitações.

A Ação Civil Pública movida pelo Procon toma como base uma pane dos serviços da empresa, ocorrida em 28 de abril de 2011. O órgão pediu esclarecimentos à TIM, mas diz não ter recebido as justificativas. No mandado de segurança concedido à empresa, a TIM afirma ter feito as justificativas no dia 13 de maio.

Além da ação que já corre na Justiça, o Procon, em parceira com a Assembleia Legislativa e o Ministério Público, abrirão um inquérito administrativo para apurar os serviços da TIM. "Que isso sirva de exemplo para outras empresas. Nós iremos nos reunir periodicamente para tratar de outros casos, não apenas de serviços de telefonia", diz Camarão, revelando que o grupo convocará, ainda, a Anatel para participar dos trabalhos.

A TIM divulgou nota de esclarecimento:

"A TIM tem a satisfação dos clientes como uma prioridade estratégica e direciona seus esforços para aprimoramento contínuo da qualidade dos serviços oferecidos e do atendimento prestado. A empresa acredita que o trabalho realizado pelo Procon é importante para mensurar a satisfação dos consumidores e ajudar a companhia a traçar estratégias de melhoria.A empresa ressalta que está implementando seu plano de investimento para o aumento da capacidade de rede no Maranhão, reafirmando seu compromisso na busca constante pela melhoria dos serviços prestados aos seus clientes. A companhia destaca, ainda, que tem um plano de investimento robusto para ampliar, modernizar e fortalecer a sua rede em todo o território nacional, com recursos de mais de R$ 8,5 bilhões no triênio 2011-2013, em atendimento à demanda crescente por tráfego de voz e dados."

Fonte: Imirante.com