quarta-feira, 27 de julho de 2011

MPF investiga ameaças de morte a juiz da Operação Alvará

O MPF ( Ministério Público Federal) em Niterói (RJ) investiga com auxílio da Polícia Federal as ameaças de morte recebidas pelo juiz federal encarregado de julgar o processo da Operação Alvará, que prendeu em abril de 2010 a quadrilha responsável pela exploração de caça-níqueis no Estado do Rio de Janeiro.

O presidente da escola de Samba Vila Isabel, Wilson Vieira Alves, o Moisés, e mais 30 pessoas são acusados no processo de formação de quadrilha armada, contrabando e corrupção ativa.

O procurador Leonardo Luiz de Figueiredo Costa entregou na última quinta-feira (21/07) suas alegações finais à justiça, pedindo a condenação dos réus a penas que totalizam 178 anos de prisão.

Entre os denunciados, estão sete policiais militares, três ex-policiais militares e um policial civil. Dos acusados, 18, incluindo Moisés, estão presos, 11 respondem em liberdade e dois estão foragidos.

Policiais federais reforçaram a segurança do juiz encarregado do processo e do prédio da Justiça Federal em Niterói. A polícia também está rastreando várias linhas telefônicas para descobrir a origem das ligações de ameaça.

Segundo as investigações do MPF, Moisés juntamente com os outros membros da quadrilha tinha total controle dos jogos nas cidades de Niterói e São Gonçalo. As investigações da operação Alvará derivaram da Operação Furacão, quando foram presos empresários, policiais, membros do Poder Judiciário e do MP.

Fonte: Última Instância